Especialistas em trânsito, líderes empresariais e de organizações de classe aprovaram por unanimidade, durante o Fórum Global de Traumas, realizado pela Organização Mundial de Saúdel no Rio de Janeiro em 28 de outubro, a proposta de criação da Aliança Brasileira para a Redução das Vítimas no Trânsito, a ABRAVITA. A iniciativa tem o sentido de assumir para si a solução de um problema grave para o qual o Estado não tem mostrado capacidade para resolver: a violência no trânsito.
   Quatro grupos foram formados para dar os primeiros passos a caminho da sedimentação da Aliança:
   Grupo 1 - Institucional (responsável pela redação dos estatutos sob a forma de uma OSCIP), integrado por Fernando Moreira (FETRANSPOR) e Graziela Blanco (DETRAN/SC e ICETRAN)
   Grupo 2 – Captação de entidades e recursos (responsável pela cooptação de entidades expressivas de caráter nacional para adesão ao movimento e destinação de recursos), formado, no Rio de Janeiro (outros grupos serão criados regionalmente), por Carlos Alberto Lopes, subsecretário de governo do Estado do Rio de Janeiro e coordenador da Operação Lei Seca e Fernando Diniz, presidente da TRÂNSITOAMIGO.
   Grupo 3 – Comunicação e divulgação (responsável pelo contato com a mídia na divulgação da ALIANÇA e na interlocução com todos as entidades e/ou personalidades integrantes da ABRAVITA), composto, por enquanto, pelos jornalistas J. Pedro Corrêa (Curitiba) e Fernando Pedrosa (RJ).
   Ao longo do tempo outros grupos serão formados, seguindo as sugestões apresentadas e registradas no seminário. Esses novos grupos de trabalho cuidarão das relações institucionais, das metas e funções da Aliança, das parcerias institucionais etc.
   Em novo encontro marcado para o dia 15 de janeiro, está prevista a assembléia de fundação da ABRAVITA.