Final feliz e ecologicamente correto para 442 veículos com restrições judiciais, considerados inservíveis, que ocupavam dois pátios em Joinville: um licitado e um espaço público denominado “Pátio Legal”. Eles integraram a segunda edição do projeto de prensagem/compactação desenvolvido pela Comissão Estadual de Leilão do Detran/SC, em parceria com o poder judiciário e Ministério Público. A ação que iniciou há três meses com os trâmites burocráticos e a descontaminação de cada item, foi concluída nesta quinta-feira, 4, com a prensagem dos veículos, gerando 332 toneladas de material reciclável.

Um a um os veículos foram içados pela garra da prensa e colocados dentro do compartimento de amassamento. Cerca de 55 segundos depois, saía um pacote de 1,5m por 1,8m, e 700 quilos, aproximadamente. Após esse processo, o material compactado segue para o Rio Grande do Sul onde será reciclado, transformando-se em matéria prima para a indústria metalúrgica. Todo o procedimento foi realizado por uma empresa licitada, através de contrato de prestação de serviços firmado com a Secretaria de Estado da Segurança Pública.

“Estamos diante de uma ótima iniciativa, com os méritos de toda a equipe envolvida. Um trabalho minucioso e de muita seriedade. Não faz sentido manter esses veículos se deteriorando nos pátios, que já não têm mais espaço, se podemos dar uma destinação a eles. Somos parceiros para fazer o que for preciso para agilizar os procedimentos para que essa ação seja mais frequente. O sistema como um todo ganha com esse trabalho”, ressaltou o juiz de direito e diretor do Fórum de Joinville, Maurício Povoas.

Por cima do muro, os vizinhos que moram nos fundos do Pátio Legal, acompanharam com alegria e alívio o início dos trabalhos. Sandra Regina Canônica, moradora do local há 15 anos, disse que por várias vezes procuraram o poder público para pedir providências sobre o pátio. “Já fizemos até abaixo assinado. Quando vimos a movimentação ficamos muito felizes e comemoramos. Enfim teremos um ambiente agradável, sem a companhia de gambás, ratos, insetos, e mosquitos, além do mau cheiro. É uma sensação maravilhosa para gente, agradecemos e parabenizamos por essa ação”, frisou Sandra, na companhia de outras moradoras.

Integrante da Comissão de Leilão e responsável pelo projeto, o delegado Adalberto Safanelli disse que o êxito de mais esta etapa do projeto foi possível graças à parceria de todas as pessoas envolvidas, direta e indiretamente, que se dedicaram e trabalharam arduamente para que essa ação se concretizasse. “Ficamos lisonjeados em contribuir para solucionar um problema antigo, a superlotação dos pátios e arredores das delegacias, além da preservação da questão ambiental, de saúde pública e vigilância sanitária, dentre outros fatores sociais e econômicos”, ressaltou o delegado.

Safanelli explica que o procedimento é simples e pode ser levado para todas as cidades do estado. Basta que o responsável pelo pátio elabore uma lista com os dados dos veículos com restrições judiciais, encaminhe ao delegado regional e à Comissão, para que seja feito um ofício ao juiz da comarca. Após a liberação pelo magistrado, é iniciado o processo para a compactação dos veículos, dando a eles uma destinação apropriada e ecologicamente correta. 

IMG 4614 pátio legal - antes

juiz Maurício delegado Safanelli IMG 4675