IMG 1441

Autoridades e profissionais das áreas de trânsito, saúde e jurídica se reuniram no Seminário “A Redução de Acidentes de Trânsito em Santa Catarina”, realizado na noite desta terça-feira, 24, no auditório da OAB, em Florianópolis. Durante o evento, promovido pela Comissão de Direito do Trânsito da OAB/SC os convidados apresentaram um breve parâmetro da estatística de acidentes, mortes, gastos e influências sociais, além de traçar um perfil sobre as principais vítimas. A diretora do Detran/SC, Sandra Mara Pereira abordou temas relativos ao órgão de trânsito, à reestruturação e aos novos serviços a serem implementados.

Sandra Mara apresentou a evolução do Detran nesses oito meses de gestão, período em que o órgão investiu na modernização e digitalização dos serviços. Somente através do Portal Digital, 560 mil e-mails foram enviados (habilitação e penalidades a vencer; notificações de autuação; e débitos dos veículos); 9,5 mil processos abertos (segunda via da CNH; CNH definitiva e Permissão Internacional para Dirigir); além de três mil certidões emitidas num processo 100% digital (certidão de registro de CNH, de propriedade de veículo, de baixa e para seguro).

A diretora também falou do desafio de reestruturar o órgão e da intenção de promover ações multidisciplinares e sistêmicas, através de parcerias a fim de promover melhorias no trânsito catarinense. “Essa proximidade com órgãos como o Cetran, a OAB, a Secretaria de Estado da Saúde e o Ministério Público é muito importante para que possamos repensar em conjunto a questão do trânsito em nosso Estado e buscar soluções para reduzir o número de mortes e acidentes”, frisou.

Os dados estatísticos apresentados pelo Secretário de Saúde, Helton Zeferino causaram comoção. Em Santa Catarina, 58% dos acidentes envolvem motociclistas, sendo que somente em 2018 foram gastos R$ 8 milhões em internações e atendimentos hospitalares.

“São impactos totalmente nocivos à população. Considerando todos os gastos com acidentes de trânsito no período de 1998 a 2017 – R$ 36 bilhões, seria possível construir 22 mil novos hospitais; triplicar o número de escolas, investir em segurança e rodovias, dentre outros. Precisamos de ações efetivas e do engajamento de toda a população para mudar essa realidade”, ressaltou o secretário.

O evento também teve a participação do presidente da Comissão de Direito do Trânsito da OAB/SC, Ison Krigger; do presidente do Cetran/SC, Luiz Antônio de Souza; e do promotor de justiça do MP/SC, Douglas Roberto Martins.

IMG 1435  num detran NTSN0124